Mafalda

Mafalda é a personagem principal de uma tirinha que surgiu nos anos 60. Seu criador, Quino, argentino que aos 22 anos começou a oferecer seus desenhos para revistas e jornais, já não a desenha mais. Porém, sua popularidade cresce mais a cada dia. Mafalda, com suas inquietações e questionamentos sobre o mundo atual, a humanidade, a paz e nossos valores ocidentais nos tira do senso comum.

O interessante é que Mafalda tem aproximadamente oito anos. E como muitas crianças fala tudo o que pensa. Porém, não coloca apenas seus pais em situações embaraçosas, também coloca os leitores em uma posição de reflexão. É muito instigante ver que Mafalda é uma personagem feminina. Em sua trupe de amigos, destaca-se Susanita, uma menina que representa o exato oposto de Mafalda. Seu único objetivo na vida é encontrar um marido rico e de boa aparência quando crescer e ter uma quantidade de filhos acima da média. Ela representa exatamente o que a sociedade patriarcal espera das mulheres, que sejam obedientes e se preocupem apenas com a casa, os filhos, o marido e a beleza. Porém, Susanita representa também muito do senso comum, daquelas perguntas óbvias que fazemos quando não sabemos o que significa opressão, desigualdade social, pobreza.

As tiras em quadrinhos sempre aparecem carregadas de mensagens ideológicas e históricas de um determinado momento, e por isso a análise delas revelam seus valores, conceitos e conflitos, por fim, acabam desembaraçando entre imagens e textos o mundo à sua volta (LUYTEN, 1985) no caso de Mafalda não apenas o de seu círculo familiar, mas também os temas que mais afligiam a geração dos anos 60 e 70, entre esses a questão da liberalização da mulher dentro de um novo contexto histórico, cultural e econômico, fazendo um contraponto com as raízes machistas e patriarcais também representadas nas tiras.

As representações da mulher nas décadas de 60 e 70 nas tiras de Mafalda (.pdf)

Autora: Ana Isabel Insfran Galeano e co-autoria Herna Ramiro Ramiréz.

Há vários pontos bacanas que devem ser ressaltados quando pensamos em Mafalda. Além do fato de ser uma menina protagonista, é uma personagem latino-americana, e ela nunca nos dá respostas, mas sim perguntas. Deixo com vocês com algumas tirinhas geniais para curtirem esse sábado.

Bia Cardoso

Uma feminista lambateira tropical.

More Posts - Website - Twitter

About Bia Cardoso

Uma feminista lambateira tropical.

24 thoughts on “Mafalda

  1. Adoro a Mafalda! Está na abertura do meu blog, na montagem que fiz, e é o nome da minha cadelinha endiabrada…
    Bjs e bom sábado!!!

  2. Srta. Bia cada vez gosto mais dos seus posts rsrsrsr

    Eu simplesmente amo a Mafalda! faz um tempo já que tenho vontade de tatuar a personagem na perna mas até agora não tive grana pra isso… mas em fim isso deixa pra lá.

    Lembro que uma vez estava conversando com duas amigas minhas bem peruas e falando de tatuagens e tal e eu disse da minha votade de tatuar a Mafalda na perna e elas me olharam com aquela cara de “que coisa mais esquisita” aí uma virou pra mim e falou “Aquela pirralha gordinha que aparece nos livros de portugês?” e eu respondi: “Ela mesma” daí a outra virou pra mim e disse: “Porque vc não tatua a Betty Boop? É melhor do que tatuar uma menina GORDA!”

    Eu juro que nessas horas fico até sem ação para dar uma resposta!

    Outro personagem de quadrinhos que também adoro e é bem perguntador é o Kevin, junto com seu fiel Aroldo.

    Parabéns pelo post.

    • Karollyna, super obrigada pelo elogio. Gosto muito de escrever nesse espaço. E suas amigas, hein? Complicado. Responde que é melhor tatuar a gorda, do que a Betty Boop que é cabeçuda hohoho

      E acho que você quis dizer o Calvin, certo? Super beijo! ;-)

  3. de uns tempos pra cá q eu fui ler mais sobre ela. bem legal :)

  4. Eu adoro a Mafalda, ela é ácida e ironica! Os quadrinistas de humor argentinos tendem a ser bem ácidos mesmo, isso é muito legal. Acho que os brasileiros e os argentinos tem um ótimo senso de humor!

    • Sara, uma coisa que gosto muito nos argentinos é que eles não tem medo de colocar o dedo na ferida. Acho que por isso Mafalda é fundamental.

  5. Muito bom o texto! Adoro a Mafalda e acho super importante dar espaço a esse belo trabalho :)

  6. Mafalda é brilhante! Obrigada por nos lembrar dela!

    Confesso que já tinha me esquecido, vou buscar várias tirinhas dela para minhas sobrinhas e cia.

  7. Meuu deus eu amo, amo, amo a Mafalda muito.
    Acho que a personagem foi um dos grandes “achados” da minha vida

  8. Eu adoro a Mafalda! Ainda vou comprar todos os livros dela, adoro! Eu lia quando tinha uns 10 anos (acho quer por isso eu sou assim, rs) e passava horas lendo…

  9. Adoro o QUino, tenho toda Mafalda e “Esto no ès lo todo” com os cartuns dele. Já falaram da Maitenna por aqui? Ouvi que ela deu um tempo nas tiras, fez um sabático. Uma pena. Fui apresentada a ela por uma amiga, ainda em espanhol…aprendi a ler espanhol lendo Quino e Maitenna :)

  10. Bia,
    que coisa, menina! Essa semana eu consegui 10 livros da Mafalda e olha como ficou a minha cara =)))

    E tem outra coisa… sabe, assisti, nesse domingo lindo, ao filme dela! Ahahahah!

    Abraço.

  11. Pingback: A Semana (2) | Groselha News