Mafalda

Texto de Bia Cardoso.

Mafalda é a personagem principal de uma tirinha que surgiu nos anos 60. Seu criador, Quino, argentino que aos 22 anos começou a oferecer seus desenhos para revistas e jornais, já não a desenha mais. Porém, sua popularidade cresce mais a cada dia. Mafalda, com suas inquietações e questionamentos sobre o mundo atual, a humanidade, a paz e nossos valores ocidentais nos tira do senso comum.

O interessante é que Mafalda tem aproximadamente oito anos. E como muitas crianças fala tudo o que pensa. Porém, não coloca apenas seus pais em situações embaraçosas, também coloca os leitores em uma posição de reflexão. É muito instigante ver que Mafalda é uma personagem feminina. Em sua trupe de amigos, destaca-se Susanita, uma menina que representa o exato oposto de Mafalda. Seu único objetivo na vida é encontrar um marido rico e de boa aparência quando crescer e ter uma quantidade de filhos acima da média. Ela representa exatamente o que a sociedade patriarcal espera das mulheres, que sejam obedientes e se preocupem apenas com a casa, os filhos, o marido e a beleza. Porém, Susanita representa também muito do senso comum, daquelas perguntas óbvias que fazemos quando não sabemos o que significa opressão, desigualdade social, pobreza.

As tiras em quadrinhos sempre aparecem carregadas de mensagens ideológicas e históricas de um determinado momento, e por isso a análise delas revelam seus valores, conceitos e conflitos, por fim, acabam desembaraçando entre imagens e textos o mundo à sua volta (LUYTEN, 1985) no caso de Mafalda não apenas o de seu círculo familiar, mas também os temas que mais afligiam a geração dos anos 60 e 70, entre esses a questão da liberalização da mulher dentro de um novo contexto histórico, cultural e econômico, fazendo um contraponto com as raízes machistas e patriarcais também representadas nas tiras.

As representações da mulher nas décadas de 60 e 70 nas tiras de Mafalda (.pdf)

Autora: Ana Isabel Insfran Galeano e co-autoria Herna Ramiro Ramiréz.

Há vários pontos bacanas que devem ser ressaltados quando pensamos em Mafalda. Além do fato de ser uma menina protagonista, é uma personagem latino-americana, e ela nunca nos dá respostas, mas sim perguntas.

Autor: Bia Cardoso

Uma feminista lambateira tropical.

Os comentários estão desativados.