Crack não destitui poder familiar

Em maio desse ano escrevi um post para o blog sobre a vulnerabilidade e a estigmatização das mulheres usuárias de crack, “Mulheres, crack e manicômios”. Debater esse tema me desperta grande interesse, pois, além de trabalhar com esse público, avalio que é pouco discutido nos espaços de militância feminista que conheço, mesmo estando tão frequente…