Então é natal… E?

Texto de Thayz Athayde.

E ai, meu povo, que tá todo mundo doido alimentando ainda mais nosso querido capitalismo. Não sei o que acontece com a cidade, só sei que todo mundo que deveria estar no hospício está aqui fora e vice-versa. Todo ano, eu deixo de gostar mais ainda do Natal, é incrível. Aliás, quais os motivos pra você gostar dele? Agora, a pergunta que não quer calar, quais os motivos para você não gostar do Natal?? Ah, isso sim, posso listar pra vocês.

1) Todo mundo fica bonzinho e eu desconfio de pessoas boazinhas demais.

2) O consumismo é seu único amigo, mas tem mulher, gays, lésbicas, negros e mais uma “ruma” de gente sendo violentada. Who cares? É natal, precisamos comprar vários presentes para nossa família, não é mesmo? Vamos cantar Kumbaya e dar as mãos.

3) A ceia em si é deprimente, né? Aquele povo inteiro na sua casa comendo, bebendo, entregando e recebendo presentes, aquela criançarada fazendo escândalo por um brinquedo. Suuuuuuper divertido.

4) São tantos os motivos, mas tem um que vem a calhar e nunca é questionado: o natal é meio machista, né?

Ah, lá vem mais um blá blá blá de uma feminista chata sobre o natal. Sou chata mesmo! Alguém ai já viu uma mamãe noel pra vender? Quem é que fica o dia inteiro na cozinha se matando de trabalhar pra agradar todo mundo? Esse ano andei loucamente atrás de uma mamãe noel, eu queria colocar uma na minha casa, ué. A única coisa que encontrei foi uma Barbie vestida de mamãe noel, super provocante, claro, é pra isso que mulher serve, né? Para satisfazer a libido masculina. E ai dá a impressão que só o homem é provedor da casa, pois é o papai noel macho-cho quem dá presente pra todo mundo, ele é o cara do dinheiro, a figura da bondade, o insubstituível e a mulher não pode ser essa figura, mulher é muito frágil, né? Tem mais é que ficar tricotando. Tem tanta mulher por aí que se torna mamãe noel, e elas são as melhores! Trabalhando, cozinhando, estudando, cuidando dos filhos, se desdobrando para conseguir dar uma vida digna para si e para os filhos, enquanto os homens têm a indecência de abandonar mulheres e filhos, como se fossem sapatos velhos. Sabe o que? Obrigada homens, vocês constroem mamãe noeis todos os dias, só que essas existem de verdade e elas nos dão presentes todos os dias: uma história cheia de luta.

Boa sorte amanhã, gente!

Autora

Thayz Athayde nasceu para fazer um musical na broadway e um filme do Tarantino. Enquanto isso, dou uma de psicóloga e pesquisadora na área de gênero. Sou a Rainha da Copacabana Feminista. Delicada e nervosinha. Mas, eu posso, sou a Vossa Majestade.