#8demarço – Por que o Feminismo é importante para o mercado de trabalho?

Texto de Thayz Athayde.

O mercado de trabalho está aquecido, é o que muitos falam. O que isso quer dizer? Que tem muito emprego por aí, inclusive as empresas estão fazendo coisas inéditas, investindo nos funcionários que já estão trabalhando na empresa e capacitando pessoas sem qualificação para entrar no tipo de segmento que a empresa trabalha.

Ótimo, maravilhoso, né? Agora é a vez das mulheres, vamos atacar esse mercado então. É minhas caras, o mercado não é tão fácil assim para as mulheres, pois ele está sufocado pelo machismo, sexismo e é exatamente ai que entra o feminismo, para discutir certas questões que são apenas repetidas.

A mulher ainda é discriminada no mercado de trabalho e um dos motivos é o velho conceito de que ela pode ficar grávida a qualquer momento, abandonando o emprego e deixando o chefe na mão. A mulher que tem filho também pode deixar a desejar, vai que o filho fica doente e ela tem que sair do trabalho pra cuidar dele? O interessante é que a empresa descarta qualquer possibilidade do pai cuidar da criança da mesma forma que a mãe. Em entrevista de emprego é comum perguntar para a mulher com quem ela deixa seus filhos,  vasculhamos a forma que a trata o filhos e quantos ela tem, dessa forma poderemos saber se ela é realmente uma boa mãe: guerreira, que sustenta e faz tudo. Ao homem é perguntado apenas se tem filhos.

A mulher negra ainda é vista como desqualificada e contratá-la, é algo exótico, é bonito e ajuda nessa imagem de responsabilidade social da empresa. Uma vez, vi um Gerente de certa empresa falando: vamos contratá-la, vai ser bom pra nossa empresa ter uma negra na recepção. Mulheres que fazem esse país são vistas como meros objetos exóticos. O mercado está aquecido pra quem, cara pálida?

Tem empresas que ainda exigem que a mulher tenha uma boa aparência, leia-se: magra, bonita, jovem e capaz de se virar em um salto alto.

Como eu sei de tudo isso? 5 anos trabalhando com Recursos Humanos e as mesmas coisas acontecem. A pauta do feminismo é extremamente necessária para interrogar atitudes, preconceitos, estereótipos, fazendo um grande debate sobre corpo da mulher, auxilio creche, licença paternidade e sobre como a mulher é capaz de assumir qualquer tipo de função.

A grande questão é fazer essas empresas pensarem nas mulheres como profissionais e não só como reprodutoras e objetos ao bel prazer de todos.

Eu tenho muito orgulho de ser feminista dentro desse mundo perverso, é difícil, mas é tão necessário , não é mesmo? Se as oportunidades de trabalho estão ai, vamos arregaçar as mangas, mostrar que podemos sim assumir esse papel, recolocar mulheres e trazer independência financeira pra elas e quem sabe um pouquinho de feminismo?

Certa vez contratei uma mulher negra para um cargo de Promotora de Vendas, depois de conseguir mostrar seu potencial, ela conseguiu ser promovida para Gerente. Eu acredito que esses casos podem acontecer cada vez mais, basta as empresas investirem no funcionário, entender que ele é sim, ele pode ter problemas e por que as empresas apresentarem soluções, como o Auxílio Creche. Em muitas empresas o Auxílio já é dado como benefício para a família. Investir no funcionário, resolver problemas é a formula perfeita para resolver o mercado aquecido.

O mercado de trabalho para as mulheres mudou. Na verdade, as mulheres mudaram também, investem mais em cursos superiores, estão se qualificando e deixando o mercado de trabalho sem argumento nenhum para contratá-las. Não basta apenas ter vagas por aí, é necessário dar oportunidade para essas mulheres. Tem muita empresa apostando e ganhando com isso, pois o resultado é perfeito: muito emprego e mulheres querendo trabalhar. Mulheres que muitas vezes sustentam toda uma família com aquele salário.

As oportunidades estão aí, muita coisa está melhorando. A Dilma disse que a mulher pode, agora ninguém nos segura. “Quando as mulheres transformam sua história, o Brasil inteiro se transforma com elas.”