O que é uma blogueira feminista?

Outubro é um mês de comemoração para nós, completamos um ano de lista e de blog.  Buscamos falar sobre feminismo na rede e também levá-lo para ruas. Somos um grupo heterogêneo, com diversas pessoas que pensam diferente, mas que tem o desejo pela igualdade como ponto comum.

Hoje é o primeiro dia do nosso Encontro Nacional. Vamos sair do virtual para debater e aprender, por isso o post de hoje é especial. Queremos compartilhar um pouco de quem somos e decidimos responder a pergunta: O que é uma blogueira feminista?

Confira também o segundo post especial: O que quer uma blogueira feministas?

Foto de Thiago Correia de Almeida no Flickr em CC, alguns direitos reservados.

É alguém que escolheu levar para as redes o seu aprendizado e o desejo de um mundo melhor. Hoje me sinto no dever de participar, compartilhar e mostrar que ser feminista é bacana, que o mundo está cheio de desigualdades e falta novos olhares sobre os problemas. Srta. Bia

Para mim ser blogueira feminista foi me reencontrar depois de uma eternidade, me reconhecer e me ver refletida em gente que eu admirava e que falava coisas que eu intuia mas não sabia ainda expressar. Conhecer e me identificar com pessoas com quem pude discutir e aprender. Pessoas inteligentes que estão dispostas a ouvir, se ajudar, aprender com @ outr@. Liliane Gusmão

Sou uma blogueira que acabou descobrindo que algumas coisas que pensa parece que tem outras pessoas bem legais que pensam parecido e chamam feminismo – e eu passei a dizer também. Sou uma blogueira que descobriu um espaço de construção de conhecimento, de criação de vínculos, de mudança pessoal, de desenvolvimento de habilidades individuais como argumentação, flexibilidade, reflexão e tenta contribuir escrevendo no blog e na lista a fim de que este espaço seja cada vez mais acolhedor, abrangente e instrutivo.  Luciana

Uma blogueira feminista é alguém que faz perguntas, muitas. É alguém que se espanta, sente empatia e quer entender para crescer e fazer do nosso meio um lugar menos estreito. Rita Paschoalin

Uma blogueira feminista compartilha o seu conhecimento e a sua experiência para ensinar aos outros sobre a causa, ou para mostrar que existem coisas que também acontecem com outras pessoas por aí; escreve para mostrar que feministas não estão sozinhas no mundo. O principal papel de uma blogueira feminista não é ditar regras e bater ponto em campanha de redes sociais; é abrir janelas, é acender luzes. É mostrar uma maneira toda nova de ver o mundo. Nessa Guedes

Não me sinto ainda muito blogueira, mas com certeza sou mais feminista do que antes. Pra mim, ser blogueira feminista, passa primeiro pela lista, de discussão, que é onde a gente se fortalece, onde a gente se empodera e aí a gente pode levar o feminismo pro mundo lá fora e o resultado disso tudo é o que a gente mostra no blog. Karla Avanço

Acho que é essencialmente uma pessoa que curte internet, que curte e quer aprender mais sobre feminismo, esse conceito tão controverso e maltratado. Acredito que a internet seja um veículo perfeito para construção coletiva de conhecimento, quando bem utilizada. E eu acho que que a gente tem, entre bolas dentro e alguns tropeços, feito isso muito bem. Iara Paiva

É uma criatura preocupada em inserir, neste estranho buraco branco que é a internet, manifestações sobre o feminismo – talvez possam parecer pequenas na magnitude, mas são persistentes no afeto. É tornar visível o que se faz tanta força pra esconder. Ana Rusche

É alguém que questiona as desigualdades de gênero em nossa sociedade e luta, inclusive com moblização na internet, para que essa desigualdades deixem de existir. Cynthia Semiramis

Assim, uma, não sei. Sei a blogueira feminista que eu sou. E sei que “blogueira feminista” não existe. Existimos. Há várias de nós, e somos bem diferentes. Na blogagem e no feminismo. Então digo pra vocês sobre a blogueira feminista que acho que sou. Mari Moscou

No meu caso é uma mulher que passou por uma tomada de consciência em relação ao seu papel como sujeito e o objeto num mundo demarcado pelas relações de gênero, que conseguiu dar forma e nome a tudo que me incomodava nos tratamentos desiguais, nas falsas igualdades, nos preconceitos, enfim. Uma blogueira feminista é uma pessoa que se descobriu no meio disso tudo e não quis ficar parada. Maia Cat

É uma pessoa que defende os ideais de igualdade sem se preocupar se deixa os conservadores e demais preconceituosos irritados. No meu caso, tornar-me blogueira há quase quatro anos fez com que eu me tornasse muito mais feminista do que já fui e, por tabela, mais atuante na defesa de outras minorias. Apesar de todos os trolls, hoje estou mais otimista, porque vejo que há muita gente lutando por mudanças. Lola

Uma blogueira feminista é alguém que luta pelos direitos das mulheres e meninas nas mais diversas mídias e realidades. Ela não se cala, luta diariamente para que todas as mulheres sejam livres. É alguém que acredita sim nas mudanças, que acredita que as amarras do patriarcado podem sim serem rompidas! Essa blogueira feminista aqui esta em guerra e não vai se calar! Ana Rita Dutra

É alguém que antes de tudo pensou “pera aí, tem certeza que isso não pode ser diferente?” e achou que a internet era um bom lugar pra questionar isso junto com outras pessoas. É uma inconformada, portanto, que não aceita que a desigualdade seja imutável e que não se contenta com rosas doadas: quer a terra dividida e o direito de plantar as próprias flores. Tâmara Freire

Uma em mais de quatrocentas. uma parte de um conjunto de olhares pra enxergar, entender, pensar, questionar, combater. com tantas diferenças e identificações, uma coisa em comum: feminismo. Não “o” feminismo, pois, uma das coisas que aprendi nesse grupo, é que o feminismo é plural, existem vários. isso é lindo e fortalece. às vezes, também entristece. mas nos une, achamos alguém que pensa com nós, ou que sente a mesma coisa, ou que viveu algo parecido e descobrimos que não estamos sozinhas. Natalia Mendes

Penso logo sou feminista. Escrevo logo sou blogueira. Danielle Cony

É uma pessoa que compartilha e usufrui da informação que as pessoas à sua volta produzem e disseminam, que procura utilizar seu espacinho virtual e real para dizer o que sabe, o que quer saber, o que não sabe bem ainda. É alguém para quem a coletividade e a interação são essenciais. Deborah Junqueira

Uma blogueira feminista é quem usa a tecnologia para difundir a “ideia radical de que mulheres são gente”. Somos muitas, cada qual com suas potencialidades e experiências. Discutimos, dia após dia, para entendermos melhor como se processam as desigualdades que vivenciamos. Somos críticas, argutas e, sobretudo, assertivas. Constituímos uma força que não se cala, que assume seus posicionamentos, à revelia dos interesses alheios. Ser uma blogueira feminista é seguir e acreditar, acreditar para conseguir seguir. Talita Rodrigues

É alguém que adora espalhar a sementinha da discórdia, no melhor dos sentidos possíveis. Blogueiras feministas são companheiras do Che no sentido de que tremem de indignação cada vez que se comete uma injustiça, cada vez que testemunham algum tipo de opressão. São ativistas virtuais, sim, enquanto blogueiras, mas extremamente reais, porque é a realidade material que elas querem mudar. Barbara Araujo

Pra mim, uma blogueira feminista é uma mulher que descobre um espaço pra falar o que pensa e lutar por seus sonhos na internet. E, claro, levar essa luta pras ruas. Eu especialmente, assumo que vivi muito tempo acreditando que a minha vida dentro de casa era o comum, e quando me dei conta da cruel realidade, que na vida real o machismo é forte e injusto, decidi começar a fazer algo, mas não sabia muito bem o que. Até que conheci o blog da Cynthia e da Lola e me identifiquei com eles. Dali pra encontrar o Blogueiras Feministas foi um pulo. Sara Joker

Uma blogueira feminista é aquela moça que acha que o feminismo está longe de morrer ou ficar fora de moda, e por isso ajuda a atualizar a linguagem dele. Mostra para diferentes gerações que ainda há pelo que lutar, pois muitas mulheres no mundo ainda sofrem com o machismo (que se apresenta de diferentes maneiras). Em diferentes cidades, as blogueiras feministas se encontram na internet, criam laços e fazem com várias ações comecem a convergir. E muitas vezes também vão para as ruas, porque fazer política sentada no sofá não dá. Priscilla Carol