O que quer uma blogueira feminista?

Outubro é um mês de comemoração para nós, completamos um ano de lista e de blog.  Buscamos falar sobre feminismo na rede e também levá-lo para ruas. Somos um grupo heterogêneo, com diversas pessoas que pensam diferente, mas que tem o desejo pela igualdade como ponto comum.

Hoje é o primeiro dia do nosso Encontro Nacional. Vamos sair do virtual para debater e aprender, por isso o post de hoje é especial. Queremos compartilhar um pouco de quem somos e decidimos responder a pergunta: O que é uma blogueira feminista?

Confira também o primeiro post especial: O que é uma blogueira feminista?

Foto de Srta. Bia no Flickr em CC, alguns direitos reservados.

Quer essencialmente mudar o mundo. Mas não o mundo apenas, também quer mudar o sentido das coisas. Porque o mundo justo e igualitário tão sonhado precisa de um querer mais aprofundado, de um desejo de não apenas saber que o outro existe, mas de sentir sua existência. Srta. Bia

Difundir e espalhar o feminismo pelo mundo para tentar inventar uma sociedade melhor com mais igualdade e tolerância. As conversas aqui, me fizeram sentir mais proxima das mulheres que eu admirava pela web, me fez rever conceitos e preconceitos, me fez me assumir feminista, me ajudou a me sentir segura a me sentir querida, a melhorar como pessoa, como cidadã.  Essa lista me fez conquistar uma voz e na internet e fora dela. Liliane Gusmão
O que quero é um pouco de alegria: amigos por perto, sexo, tomar banho de chuva, uma taça de vinho no começo da noite, cafuné. Quero poder ser e fazer. E descobri que poder e ser e fazer sem que os outros também possam é fazer ainda mais solitário o viver. Então, o que quero é um tanto de alegria pra todos. Pra isso: justiça e igualdade. Um tanto de riso, na medida do impossível. Luciana

Eu quero crescer e deixar para meus filhos um mundo menos preconceituoso e um tantão mais acolhedor. E, sério, aqui aprendo todo dia. Rita Paschoalin

Uma blogueira feminista quer mudar o mundo. E não de uma forma piegas. Quer fazer o trabalho pequenino, aquele do dia a dia, que ninguém faz, porque as convenções sociais tornam as pessoas preguiçosas. O objetivo de toda a blogueira dentro do grupo é muito simples: se encontrar. É muito mais fácil suportar as pedradas do dia a dia quando temos amigas ao nosso lado. Porque a sensação de estar nesse grupo não é a de ter companheiras de luta. É de ter amigas. De apoio, de força, e de vida. Nessa Guedes

Acho que uma blogueira feminista quer que esse espaço que nós temos aqui não exista só online. Uma BF quer um mundo de respeito, de igualdade, quer usar a internet pra levar ao menos essa sementinha pra pessoas que estão distantes, quer ultrapassar barreiras geográficas e sociais, quer que a rede de solidariedade e de empoderamento se amplie, quer fazer perguntas, analisar tudo, criticar tudo, não deixar as coisas passarem despercebidas, quer usar a internet pra fazer sua voz ser ouvida para que as pessoas pelo menos comecem a refletir sobre o status quo, quer que as pessoas descubram a empatia, sejam capazes de realmente ver o outro e se colocar no lugar dele. Eu poderia dizer que quero mudar o mundo, claro que quero um mundo diferente, mas se uma pessoa para pra ouvir o que temos a dizer e sai pensando, já significa que estamos tendo resultado. Karla Avanço

Acredito muito na máxima do “pense globalmente, haja localmente”. Acho que se a gente quer um mundo melhor (eu quero!) tem que começar imactando quem está perto. O que a internet faz é ecoar, aproximar virtualmente quem está longe geograficamente. Então cada vez que a gente divulga uma ideia, cada vez que a gente debate sobre o que acredita, tá contribuindo pra diminuir a intolerância no mundo. E o mundo muda, né? Devagar, mais muda. Quem imaginava 15 anos atrás ter as uniões homoafetivas reconhecidas pelo sisudo STF? Pode demorar, mas a gente vai fazendo a nossa parte nesse trabalho de formiguinha que é tentar diminuir as violências físicas e sociais contra as mulheres. Iara Paiva

Quer o fim das desigualdades de gênero e que, com isso, mulheres tenham uma vida mais livre e feliz. Cynthia Semiramis

Sei o que eu como esta blogueira feminista que sou hoje, quer. Acho. Se meu objetivo fosse discutir teoria feminista, avançar em meus estudos, não sei se eu blogaria. Quem bloga que debate, quer por pra fora, quer diálogo (ou deveria, penso). Blogo pela conversa. Blogo para desconstruir o machismo, o gênero, o próprio feminismo, entre blogueiras e não-blogueiras e, adoro isso, entre pessoas não- produtoras de conteúdo blogosférico (uau!), leitoras e leitores. Entre não-feministas. O feminismo só chega à vitória quando for construído coletivamente por toda a sociedade – minha opinião. É isso que quero e por isso blogo feministicamente. Mari Moscou

Para mim, o mais compensador seria ver o questionamento crítico acendendo nas pessoas, para que elas de fato, tentassem pensar além, sem se contentar com as velhas fórmulas e ladainhas que repete há anos. Acho que só através desse senso crítico que se pode despertar desse entorpecimento do senso comum. Maia Cat

Quer mudar o mundo. Parece pretensioso e utópico, mas um dos slogans do feminismo nos anos 60 era “seja realista, exija o impossível”. Temos voz na internet e não vamos nos calar. Está na hora de exigir o impossível. Lola

Mudança! Vida! Mais liberdade! Quer um mundo onde homens e mulheres possam viver bem, livres. Sem amarras, sem preconceito, sem violência. Ana Rita Dutra

Mudar o mundo. Pode parecer muita coisa, mas se um monte de gente já mudou o mundo por acidente, imagina o que nós que lutamos tanto por isso não somos capazes de fazer. Tamara Freire

Quero aprender mais, pensar mais, ler mais, ouvir mais, falar mais. fazer diferença, compartilhar e mudar o máximo possível o que estiver ao meu alcance. e ainda quero viver num mundo diferente, num mundo onde o feminismo não precise existir. Natalia Mendes

Dialogar com pessoas em como podemos ter uma perspectiva diferente. Exibir e refletir sobre a opressão que as mulheres sofrem no dia-a-dia e tentar de alguma forma mudar essa realidade. Danielle Cony

Ampliar o alcance do seu grupo e da sua voz, da voz de tod@s feministas; questionar e mudar o mundo à sua volta e o mundo aqui de dentro; nunca se dar por vencida, nunca mais se omitir. Produzir sempre, crescer sempre, compartilhar sempre. Deborah Junqueira

Queremos igualdade e respeito indistinto. Almejamos tudo que merecemos e não temos medo de merecer. Trabalhamos pela afirmação de uma cultura de paz, em que mulheres possam se deslocar, verdadeiramente, livres pelas vias públicas. Exigimos autonomia sob nosso corpo e liberdade de escolhas. Enfim, queremos ser sujeitos e não mais sombras do fazer histórico. Talita Rodrigues

Acho que tod@s nós queremos é ver um mundo sem machismo ou qualquer tipo de preconceito. Onde todos possam viver com tranquilidade. Queremos que mulheres não sofram violência de nenhum tipo e que nenhuma de nós sinta medo de seu companheiro, pai, amigo, irmão ou qualquer outro homem. Sara Joker

Uma blogueira feminista quer o que toda feminista quer: um mundo mais justo, com igualdade entre as pessoas. A diferença é só o meio: a internet virou uma aliada e está difundindo nossa mensagem para muitas outras pessoas. Priscilla Carol