Qual o segredo para envelhecer lindamente?

Texto de Denise Rangel para as Blogueiras Feministas.

Ao observar Jane Fonda — a musa do envelhecimento ativo, com mais de 80 anos, firme em seu trabalho como atriz, escritora e ativista política — percebi que abraçar a idade e extrair o melhor dela é possível.

Por algum tempo, vi-me à procura por recursos para, também, fazer-me avançar e abraçar este novo capítulo da minha vida: o envelhecimento. Questionei-me: sinto que meus melhores dias estão no passado? Estou sempre reiterando as dificuldades e contratempos pós meia-idade? Estou disposta a pagar preços exorbitantes para apagar os sinais de envelhecimento em meu corpo?

Concluí que o autocuidado é essencial. Exercícios físicos, acompanhamento médico, boa alimentação, cuidados com pele, cabelo e afins são importantíssimos. Porém, não são suficientes para um envelhecimento saudável em todos os aspectos da vida: mente, corpo e alma.

Sem uma visão positiva do envelhecimento, é fácil nos prendermos a pensamentos limitantes e a comparações com a idade que não temos mais. Tracei, então, os objetivos e as intenções que tenho de abraçar, cotidianamente, para alcançar o envelhecimento saudável. Concentro-me, realmente, em cada uma das áreas traçadas e me responsabilizo por uma mudança de foco em minha vida.

Descrição: Uma mulher observa algo em sua mão no meio de uma mata. Essa mulher é branca e velha. Foto de Paul Theodor Oja. Disponível para uso gratuito no site Pexels.

Quero compartilhar estes objetivos e intenções com você que, como eu, ultrapassou a meia idade, ou com quem ainda vai passar por essa fase:

  1. Retiro a palavra “antienvelhecimento” do meu vocabulário e a filosofia de que a juventude é mais valiosa que maturidade e experiência.
  2. Celebro, a cada manhã, a vida em todas as suas fases e etapas. Minha motivação é alcançar o melhor de mim, sem agir como algo que eu não sou – jovem.
  3. Tenho talentos e experiências e opto por compartilhá-los de maneira que possa levar outras pessoas, como eu, a seguir em frente na vida.
  4. Procuro cercar-me de quem é generoso e compartilha, igualmente de uma mensagem positiva sobre o envelhecimento saudável.
  5. Humildemente, peço e aceito ajuda quando necessito, na expectativa de que, quando eu a procuro, eu a encontro ao meu redor. Mesmo que as dificuldades venham, eu escolho acreditar que elas são um caminho para o meu crescimento pessoal e a percepção da grandeza desta fase da vida.

Espero que meu “manifesto” possa encorajar você a fazer uma transição tranquila e a aproveitar os anos futuros com foco e direção.

Autora

Denise Rangel. Twitter: @deniserang_ instagram: @srastorm_
“Passei da metade da vida há alguns anos. O tempo é passageiro. Meu foco é saúde e bem-estar e como me redescobrir e prosperar após os 60 anos. Quero que a segunda metade de minha vida seja para aproveitar o máximo os momentos. Viver sem arrependimento, apreciar o que é importante e me concentrar nisso. Mulheres acima de 60 anos aprendem, experimentam e se divertem. Há vida após a meia-idade!”