E quando o machismo vem da mulher?

Recentementente em nosso grupo de discussão,  foi abordado um assunto que sempre chamou a minha atenção e que afeta muit@s de nós, estejamos em  militância ou não, com muito mais frequência do que eu imaginava: como lidar com mulheres machistas?

Mulher Triste. Foto de Daniel Athie no Flickr.

Parece meio controverso mas é verdade,  há muitas mulheres machistas. E seus posicionamentos  se manifestam das mais variadas formas e intensidades.  Pode ser em família, em comentários que fazem a respeito de determinadas situações ou até mesmo quando evidenciam um certo desprezo pelas lutas que poderiam fazer valer muitos direitos a elas e a todas nós, pois muitas delas acham que o feminismo é uma luta ultrapassada, ou coisa de quem não tem o que fazer.

Alguns fatores contribuem bastante para que ainda haja tantas mulheres com este tipo de pensamento, que vão desde a velha mídia e suas ações que reforçam uma série de estereótipos até a influência da família. Boa parte das mulheres machistas não se reconhece como tal, mas reproduz uma série de clichês que são fundamentados  em idéias bastante preconceituosas. E quase sempre deixam de perceber que se há uma condição relativamente melhor para nós mulheres, que a liberdade que temos atualmente e que as escolhas que hoje podemos fazer foram graças ao Movimento Feminista.

Mas quais seriam as atitudes que evidenciam o machismo em uma mulher? Tive experiências muito desagradáveis com o machismo oriundo de  mulheres, até mesmo daquelas que me causavam admiração ou a quem manifestava apreço, ou que eram amigas de longa data.   E dentre tais experiências, as que mais se repetiram foram através de duras palavras.  Palavras até mesmo de ódio, agressivas, ásperas. Palavras capazes de denegrir e de ferir.  E foi difícil demais para mim aprender a lidar com isso.

Quando uma mãe educa uma menina de maneira diferente da que educaria um menino, fazendo com que a filha sempre ache natural lavar a louça do jantar enquanto o irmão joga video game na sala, por exemplo, é uma atitude machista. Quando pensamos que uma mulher  não tem o direito de não querer se casar e ter filhos, ou de não ser vaidosa, estamos sendo machistas. Quando questionamos se fulana ou ciclana obteve êxito em sua carreira por sua beleza e não por sua competência e esforço, é uma atitude machista.  Quando julgamos uma outra mulher pela quantidade de parceiros que teve, ou pelas roupas que veste, estamos a exercer uma atitude machista. Quando uma mulher acha inaceitável que seu marido/companheiro ganhe menos do que ela, ou que pensa que homem sensível é fraco ou pouco másculo, está a fazer um juízo de valor extremamente machista. E quando questionamos a nossa liberdade ou quando ignoramos os nossos anseios ou perspectivas com medo do que podem pensar de nós,  não tenhamos a ilusão de que não é influência do machismo. É sim, e muito forte.

Eu mesma assumo que já tive muitas idéias machistas. Vi e vejo casos do tipo o tempo todo, inclusive dentro da minha própria casa. E isto serviu para que eu repensasse as minhas atitudes, procurasse ter mais conhecimento e sair da minha “zona de conforto” mental. Por isso, convido principalmente as leitoras deste texto a refletirem se em algum momento de suas vidas, não reproduziram algum comportamento similar ao supracitado… Quantas mulheres machistas vocês conhecem?