Trabalhadoras e Trabalhadores sexuais em Luta

Texto de Monique Prada. 

No marco deste dia 1° de maio nós, trabalhadoras e trabalhadores sexuais vinculados à CUTS – Central Única de Trabalhadoras e Trabalhadores Sexuais do Brasil saudamos a todas as trabalhadoras e trabalhadores do planeta, e conclamamos a que se juntem a nós na luta pelo reconhecimento de nosso trabalho como trabalho digno e possível, na luta pela descriminalização, legalização e regulamentação de nosso trabalho em todo o mundo e na importante e incessante luta contra o estigma, violência e preconceito que nos atingem, assim como atingem também às nossas famílias e amigas/os.

Nos somamos ainda à luta de todas as trabalhadoras brasileiras e brasileiros pela democracia, contra o golpe e contra todo o tipo de retrocesso.

cuts
Logo da CUTS – Central Única de Trabalhadoras e Trabalhadores Sexuais.

Aqui nos posicionamos contra, veementemente contra, o PL 377/11, de autoria do deputado federal João Campos, do PSDB de Goiânia, que prevê a criminalização da contratação de serviços sexuais, em modelo similar ao adotado pela Suécia em 1999 e pela Noruega e França mais recentemente. Paira sobre nossas cabeças a sombra do conservadorismo, que nos empurra mais e mais para a clandestinidade, nos expondo a violências e à segregação.

Apoiamos o PL 4211/2012, de autoria do deputado federal Jean Wyllis em parceria com a Rede Brasileira de Prostitutas. Embora nós da CUTS tenhamos algumas ressalvas quanto a ele, compreendemos que a melhor postura no momento é a de apoiá-lo e lutar por sua aprovação. APOIAMOS O PL GABRIELA LEITE.

Sem mais, desejamos a todos um excelente 1º de maio de lutas e reflexão, como se exige no momento turbulento que estamos vivendo em nosso país.

Autora

Monique Prada é ativista incansável pelo direitos das putas e nos horas vagas também é diva. É presidenta da CUTS – Central Única de Trabalhadoras e Trabalhadores Sexuais. Esse texto foi publicado em seu perfil pessoal do Facebook em 01/05/2016.