O cinema, minha subjetividade e Leila Diniz

Sempre andei sozinha. Me dou bem comigo mesma. Leila Diniz O cinema é um espaço mediador da minha subjetividade e, acredito, da de uma porção de outras pessoas. Há personagens e/ou atrizes fundamentais na forma como interajo no mundo, como tomo decisões, como decodifico comportamentos e, até, como me relaciono. Volta e meia eu me…

Duas coisas que detesto e uma que necessito

Texto de Luciana Nepomuceno. A Thayz (do incrível e reflexivo Menina de Sardas) publicou aqui um post intitulado A Ditadura Silenciosa. Ela trata de um tema que me é caro: padrões externos para meu corpo, minha vida, meus critérios, minha alegria. Em dia de muito pensar, até já escrevi um tantinho sobre isso. São essas…